Navegador do Android é até 60% mais rápido que o do iPhone, diz estudo

android x iphoneDiferença de velocidade é notada na abertura de páginas convencionais, não as desenvolvidas para smartphones.

O Android não só superou o iPhone em vendas, mas também na velocidade de abertura de páginas da Internet. Segundo estudo conduzido pela Blaze Software, o navegador utilizado pela plataforma da Google – o Chrome – é, em média, 52% mais rápido que o Safari – browser presente no iOS – para carregar sites.

Para o estudo, a Blaze acessou os portais das 1000 maiores empresas americanas - de acordo com a Fortune - a partir de um iPhone 4 e de um Nexus S, usando uma conexão Wi-fi. Segundo os autores da pesquisa, mais de 45 mil testes foram feitos e em 84% deles o aparelho com Android foi mais rápido.

No entanto, a vantagem sobre o iPhone cai significativamente quando os portais abertos são desenvolvidos especialmente para plataformas móveis. Nesse caso, o Chrome é só 3% mais ágil que o Safari.

Para abrir sites convencionais, o índice sobre para 59%, o que, segundo a Blaze, dá uma boa vantagem aos tablets com Android frente ao iPad.

“Os tablets possuem sistemas operacionais e hardware similares aos dos smartphones”, justifica Dave Horne, diretor de marketing. “Porém, os usuários querem nos tablets a mesma experiência de navegação que têm em um notebook. Portanto, nesse mercado a velocidade do Android será bem mais sentida”.

A companhia também testou o desempenho dos navegadores para rodar códigos JavaScript. Para sua surpresa, entretanto, não foi verificada grande melhora no iPhone rodando a última versão do iOS – que teria um motor mais moderno - comparado a outro iPhone contendo um modelo defasado. O mesmo se deu com o Android, cuja versão mais nova foi “marginalmente mais rápida” que a predecessora.

Assim, a Blaze concluiu que a “performance quanto ao JavaScript não causa grande impacto na velocidade de abertura das páginas”, já que “o motor para esse tipo de código já está tão otimizado que não exerce grande influência sobre o tempo que se demora para carregar um site por completo”. Os pesquisadores acreditam que o motor JavaScript só deve ajudar realmente para lidar com aplicações pesadas em AJAX.

(Brad Reed)

Fonte: Network World/US

Comentários